4.1 Maneiras de Você Ter Seus Próprios Produtos Digitais Mesmo Que Você “Ache” Que Não Tenha Nada Para Compartilhar Com O Mundo …

Olá aqui é o Édipo, e aí tudo beleza, vamos falar de produtos digitais?

Então andei um pouco sumindo e fazia tempo que não escrevi aqui no blog, estou focando em alguns projetos e o blog acabou ficando um pouco de lado, porém, em breve estarei lançando o meu próprio produto, veja os detalhes aqui ….

Relatando isso, deixa eu dizer o que você irá aprender nesse artigo:

  • Os 3 Maiores Mitos na criação de um produto;
  • 4.1 Maneiras de você ter seus próprios produtos digitais.

Após você ler esse artigo, garanto que você terá várias ideias, a maioria dessas ideias foram experiências próprias e outras estudando e vendo algumas possibilidades, certo? Bom, então vamos lá!

Os 3 (Três) Maiores Mitos Na Criação De Um Produto

3 Mitos Sobre Criação de um Produto Digital
3 Mitos Sobre Criação de um Produto Digital

#Mito 1 Eu não tenho nada pra ensinar …

De fato a maioria das pessoas acha que não tem nada pra ensinar, eu mesmo já cai nessa armadilha. Um dia, conversando com um grande amigo, isso bem no meu começo ali por Janeiro de 2014 …

Conversa vai, conversa vem, comentei com ele que não sabia o que produto criar. Ele me fez algumas perguntas, e após isso verificamos que uma das minhas habilidade era manutenção de computadores, na época, pois trabalhei quase 6 anos nesse ramo.

A partir daí, comecei a pensar:  isso não dá dinheiro, este nicho está saturado, tem muita coisa gratuita no youtube, e como todo ser humano fiquei arrumando mil e uma desculpas para não aplicar meu conhecimento.

Logo em seguida, esse mesmo amigo me enviou um “print” de um dos seus alunos faturando em média R$7 MIL por mês, e adivinhe com o que?

Sim! Com um curso de manutenção de computadores.

A lição que eu tirei e que você também pode tirar é, talvez você tenha alguma habilidade que pra você é irrelevante, entretanto para outras pessoas pode ser muito útil, basta você descobrir isso!

Neste sentido, a minha opinião é:  todos nós temos sim alguma coisa pra ensinar, só ainda não paramos para analisar isto com vigor.

Sendo assim, recomendo que faça um exercício simples para conhecer suas habilidades e paixões, se pergunte:

  • O que eu gosto de fazer nas horas vagas?
  • O que você aprendeu nos últimos meses/anos?
  • Tem algo que amigos e familiares me pedem ajuda com frequência?

Essas 3 perguntas parecem simples, mas podem revelar muita coisa.

Mito #2 É muito difícil criar produtos digitais…

Essa é chover no molhado, quem já cogitou criar um produto e não pensou nisso ainda, vai pensar 🙂

Veja, todos os produtos digitais basicamente se resumem a 3 modelos de conteúdo:

  • Áudio
  • Vídeo
  • Texto

Porquê não começar com o mais simples então, por exemplo um e-book?

Vai lá, abre o Google Drive e começa a escrever algo que saiba, depois importa para PDF e pronto, você já tem seu primeiro produto digital. Claro que a escrita não é algo tão simples quanto parece, mas aos poucos, com certeza se dá para fazer algo realmente relevante!

Talvez seu primeiro ebook tenha poucas páginas daí você fica pensando que ele não é suficiente, que pode melhorar, e todas as outras variáveis possíveis, porém, a minha recomendação é que neste momento você pense:

Qual é a única coisa que posso fazer hoje que vai me levar mais perto do meu objetivo?

Nesse exemplo, escrever a primeira página, no segundo dia escrever a segunda página e assim por diante, foco no próximo passo e não na maratona, assim fica mais tranquilo, pegou a ideia?

Curso em vídeo e áudio também, comece simples, fazendo screencast com slides do Google Drive (gravação de tela do computador) ou mapas mentais, e depois vai evoluindo aos poucos.

A ideia é focar em como seu conhecimento pode fazer uma transformação no seu cliente, ele não quer seu produto e sim a transformação que o produto promete.

E então, você irá perceber que por mais simples que seu produto seja inicialmente, se ele entregar o que promete, tá tudo tranquilo, pois é isso que você se propôs a fazer. Depois, com o tempo, você vai criando mais conteúdos,  ganhando dinheiro e investindo em equipamentos, softwares, se assim você preferir.

Mito #3 Eu Não Sou Expert

No livro Mensageiro Milionário do Brendon Burchard ele cita dois tipos de experts: o de resultado e o de pesquisas.

Claro, a melhor forma de ser um expert é tendo expertise no assunto, ou seja, aprendendo, aplicando, e tendo resultados com aquela expertise, seja qual for o objetivo.

Porém, ser um expert de pesquisa também é uma boa pedida.

Veja o exemplo de um dos maiores escritores do mundo, Napoleon Hill, que escreveu o livro Quem pensa enriquece, por sinal de leitura obrigatório.

Há boatos que ele nunca foi rico ou teve sucesso estrondoso na sua vida pessoal antes de escrever o livro. O que quero dizer é: Nessa vida tudo se aprende!

A ideia é pesquise e leve essas informações para um público que necessite delas, pronto, você está replicando o seu conhecimento e se portando como uma autoridade naquele nicho, como um expert.

Aqui, você já provavelmente já deve ter sido o primeiro case de sucesso na sua vida, mas se não for, busque por isso, pois um case, um depoimento sincero ajuda muito.

Exemplo:

Você precisa perder peso. Sendo assim, você foi lá e comprou os 2, 3 maiores best seller do assunto, pesquisou muito e fez mais 1,2 cursos online/offline e participou mais de 2,3 seminários…

Aplicou tudo o que aprendeu e conseguiu emagrecer, ou seja, você tinha um problema: perder peso. Resolveu esse problema com uma solução, agora basta você organizar o passo a passo o que você fez para atingir esse objetivo e compilar este conhecimento em forma de texto, vídeo, etc.

Entenda, 98% dos produtos digitais se resume em resolver algum tipo de problema.

Esses são os 3 maiores mitos ao tentar criar um produto digital, espero que tenha ficado mais claro pra você agora.

Lembre-se sempre, o simples funciona, é melhor você ter um produto simples, porém eficaz, do que não ter!

Agora vamos as:

4.1 Maneiras Práticas de Você Ter Seus Próprios Produtos Digitais

4.1 Maneiras Práticas de Você Ter Seus Próprios Produtos Digitais
4.1 Maneiras Práticas de Você Ter Seus Próprios Produtos Digitais

Mesmo a gente quebrando alguns mitos e você vendo que não é tão difícil assim criar um produto, vou dar 5 opções de você ter seus próprios produtos, dessas 4.1 opões, 3 nem é você que precisa criar… venha comigo!

#1 – Você criar o seu próprio produto

Simples, você mesmo cria seu próprio método e desenvolve  o seu produto(s).

Na minha opinião essa é a melhor opção, tanto em liberdade de fazer o que quiser com o produto, tanto visando o lado financeiro a longo prazo.

Se você é coach, palestrante, personal trainer, nutricionista, advogado, enfim, se você tem alguma profissão que resolve o problema de um público,  isso pode ser transformado em produtos digitais.

Hobbies também pode ser transformados em produtos digitais, veja esse artigo.

A questão é, você tem algum conhecimento que pode ajudar um grupo de pessoas?

Alguma experiência de vida? Passou por alguma dificuldade e conseguiu vencer?

Exemplo #1: Teve o fim de um relacionamento, ficou com trauma e depois conseguiu vencer.

Quantas pessoas estão passando por isso agora?

Falo com todo certeza, “MILHARES”

Será que elas precisam de ajuda? Com toda certeza, sim!

Outro exemplo:

Eu gosto de café com leite, será que alguém me pagaria pra ensinar isso?
–Ebook: 37 Formas de Fazer Café Com Leite.

Creio que não …

Por isso é muito importante a escolha do nicho, também e validar o mercado ..

Não adianta entrar num nicho que você ama, se o mercado não tem dinheiro.

Num próximo artigo falo mais sobre escolha e definição de mercados ..

Bom, vamos dar sequência…

#2 – Licenciar um produto

Aqui temos também uma boa opção, que podem trazer bons frutos.

Você conhece o Fórmula de Lançamento? Se sim, você sabe que o Érico não criou o método do Fórmula, na verdade o método e o produto é do americano Jeff Walker.

Claro que antes de licenciar, o Érico colocou em prática e teve resultados. Somente depois ele trouxe aqui para o Brasil.

PS: Tenho que admitir, o internet marketing praticado no Brasil antes do Fórmula era uma coisa, depois do Fórmula se tornou outra.

Existe diversas vantagens nesse modelo de negócio, como por exemplo:

  •  Você pode pegar um método validado, tendo provas que esse método funciona, com cases de sucesso, estudo de casos, facilmente poderá vender bem.
  •  Autoridade do criador do produto, você poderá utilizar o nome do criador para alavancar as vendas quando licenciar, já que o mesmo possui influencia.
  • E por fim, terá o produto com script pronto!

Entre outras vantagens …

Porém também existem desvantagens:

  • Pagar royalties para o criador do produto, que na maioria dos casos esse é o acordo.
  • Não ter o controle total do produto, caso você queira fazer alguma mudança drástica no produto, você precisa de autorização do criador.

Como tudo na vida, temos as vantagens e desvantagens, cabe você avaliar se isso é benéfico a você ou não.

E ai, será que é uma boa pra você?

#3 – Pagar alguém para criar o produto para você

Já pensou nessa possibilidade?

Imagine que você quer criar um produto digital de adestramento de cachorros, porém você não tem esse conhecimento específico, entretanto sabe que é um nicho lucrativo e quer realmente entrar nesse mercado.

Você pode ir atrás de um profissional e pagar pra ele criar o produto pra você!

Aqui você tem várias opções, algumas são:

  • Pagar um valor específico em que ambas partes fiquem de acordo e o produto ser 100% seu;
  • Dar um % do produto, tipo royalties.
  • Porcentagem  mais algum valor em dinheiro.

Também existe outros detalhes que devem ser revisados antes de fechar o negócio, quem vai dar o suporte pro cliente, quem vai criar os materiais, qual nome vai ser usado para divulgação, etc…

Na real, há negócios que você nem precisa se expor, então vamos dizer que ele cria o produto e você faz o marketing e estuda o suficiente para dar o suporte para o cliente, é uma possibilidade.

Se você desconhece, posso lhe dizer com certeza que existem sim produtos altamente lucrativos usando esse modelo, então porque não começar dessa forma?

Veja usei a palavra começar,  ou seja, se depois você analisar que é um ótimo mercado e quem tem $$$ ali e que você curte trabalhar nele, você pode expandir, talvez ganhando conhecimento na área e se tornando um expert de fato ou fechar uma sociedade com o criador do produto ou outro profissional da área.

Enfim, só explanando um pouco das diversas possibilidades que podem surgir.

#4  – Coprodução

Meu primeiro negócio foi assim, uma Coprodução como conto nesse estudo de caso.

Coprodução é simples, é basicamente fechar uma sociedade. No exemplo do Treino Hiit, o Raphael era o expert e eu era o cara do marketing digital.

Uma coisa bacana é que, hoje em dia a grande parte das plataformas já faz a divisão de forma automática para coprodução.

Exemplo:

Você tem 50% e seu sócio tem 50% do produto, assim que houver uma venda a distribuição é automática pela plataforma, se o produto for R$10, vai automaticamente R$5 na sua conta e R$5 pra conta do seu sócio, tudo automatizado.

É bom modelo de negócios, eu já fiz algumas parcerias assim que deram certo, e outras que também deram errado.

Novamente, temos as vantagens e as desvantagens:

Vantagens:

  • Vamos dizer que você é coach, e não quer aprender marketing digital, você pode fechar uma parceria com algum especialista e seu problema estará resolvido ou vice-versa.
  •  Divisão de trabalho, cada um cuida de uma área específica do produto.

Desvantagens

  • Divisão de lucros, todas as vendas você terá um sócio ali pra dividir tudo.
  • Forma de ver marketing e negócios. Isso pode ser um problema, se vocês não tiverem bem alinhados nesse quesito, futuramente você pode ter dor de cabeça.
  • Se você for o responsável pelo marketing e seu “sócio” pelo conteúdo, lembre-se que toda autoridade será feita no nome dele, caso um dia vocês se separem o risco de você sair com uma mão na frente e outra atrás é bem grande.

Resumindo, coprodução é nada mais e nada menos que uma sociedade.

#5 – Afiliado

Nesse modelo você irá vender produtos de outras pessoas e ganhar comissão pelas vendas.

Tenho uma ótima experiência nessa área, pois sou gerente de afiliados do Emagrecer De Vez, um dos produtos digitais mais vendidos do Brasil.

Aqui você não cria produto algum,  apenas revende!

É o modelo mais fácil pra você começar pois não precisa criar nenhum tipo de produto, apenas recomendar.

O mercado de afiliados em si é bem grande, tem cursos só ensinando esse modelo de negócios, eu poderia ficar horas falando desse modelo ou até mesmo escrever dezenas de artigos, entretanto, vou apenas citar, porque também é uma possibilidade.

Conclusão

Você tem 4 maneiras de ter seu próprio produto digital e 1 não sendo seu o produto, por isso 4.1 :P. Mas é uma forma de iniciar nesse mercado de negócios online, por isso a citação.

Também falamos dos 3 maiores mitos em criar produtos digitais (infoprodutos).

Lição aqui foi:

Comece simples, depois com o tempo vai melhorando aos poucos seu produto!

Minha visão e mensagem final:

Você ser produtor é o melhor caminho a longo prazo, melhor financeiramente e também se tratando de reconhecimento, porém, dentre as possibilidades, talvez você ache melhor ser afiliado, e não tem nada de errado nisso, é um ótimo caminho também.

Espero que você tenha curtido esse artigo, assim como eu gostei de escrever ele aqui pra você.

Falamos em breve,
–Édipo Tolentino

  • Parabéns pelo conteúdo, Édipo! Muito top

  • Valeu Hugo 🙂

  • Mateus Leite

    Edipo é mito!!!! muito bom o artigo

  • Fala Mateus, bom tiver por aqui … se eu sou mito você é lenda hahaha 🙂